R$ 408, R$600 ou R$1.200 quem recebe os diferentes valores

0
43

Por Jair Henderson

Mesmo depois de meses sobre o anuncio do auxílio emergencial várias pessoas ainda não entenderem como iria funcional a questão de valores, uma vez que essa ajuda viria do governo federal e os governos dos estados teriam a sua disponibilidade a opção de também poder ajudar os moradores de seus respectivos estados.

Pelo que foi apurado o valor que viriam do governo seria de R$ 600,00 será pago a princípio por três meses, para até duas pessoas da mesma família e para as famílias em que a mulher seja a única responsável pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente será de R$1.200,00. Essa medida foi prorrogada por mais 2 meses.

O Auxílio Emergencial é um benefício financeiro destinado aos trabalhadores informaismicroempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus – COVID 19.

GDF

Já o Governo do Distrito Federal por exemplo criou o Programa Renda Mínima Temporário no âmbito das medidas de enfrentamento ao novo coronavírus. Entre os critérios a serem cumpridos pelos beneficiários estão: residir no DF e não serem atendidos por programas como Bolsa Família, DF Sem Miséria, Bolsa Alfa, Benefício de Prestação Continuada ou pelo Auxílio Emergencial, previsto na Lei Federal 13.982, de 2 de abril de 2020, o valor do benefício é de R$ 408.

Motoristas de transporte escolar também receberão um auxílio emergencial de R$ 1.200 por dois meses – ou três, caso as aulas permaneçam suspensas. Para ter direito ao benefício, os proprietários de veículos de transporte escolar e de turismo devem estar devidamente cadastrado, em 31 de janeiro de 2020, no Cadastro de Permissionários e Concessionários da Secretaria de Mobilidade e estar regularmente registrado, em 31 de janeiro de 2020, junto ao Detran-DF na categoria de transporte escolar ou turismo. A expectativa é de que 1.600 donos de vans sejam beneficiados. Eles estão parados desde o dia 11 de março, quando as escolas públicas e privadas do DF foram fechadas, em função da pandemia do novo coronavírus.

RIO DE JANEIRO

No estado do Rio de Janeiro quem tomou a iniciativa foi a Federação de Favelas do RJ (Faferj) e o Movimento Favelação que viram que uma parcela das pessoas que vivem na comunidade não iriam recebem o auxílio do governo federal e criaram o projeto Auxílio Solidário. Trata-se de uma ajuda de R$ 200 que garante a sobrevivência dessas famílias. O cadastro e a seleção dessas famílias são feitos por líderes comunitários, que mapeiam quem está passando mais dificuldade. Atualmente, 104 famílias do Rio, Baixada Fluminense e Região Metropolitana estão recebendo essa ajuda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui