Prontuário afetivo é implantado no Hospital Cidade do Sol

0
21

Objetivo é acolher pacientes e fazer com que eles sejam vistos dentro da própria individualidade

Ser acolhido e ver que as pessoas realmente se importam com sua vida e sua individualidade. É assim que os pacientes internados no Hospital Cidade do Sol (HSol) se sentem com a utilização do prontuário afetivo. A ferramenta é utilizada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF) para registrar informações sobre o paciente não apenas do ponto de vista clínico, mas levando em consideração também emoções, preferências e aspectos psicossociais.

“Eles sentem que nos importamos com eles. Quebra o gelo e tira aquela sensação de atendimento mecânico. O prontuário afetivo é feito pela equipe do (programa) Humanizar logo na admissão. Os auxiliares vão até o leito dos pacientes e, de forma acolhedora e atenciosa, fazem as perguntas necessárias”, explica a gerente de Humanização e Experiência do Paciente, Stephanie Sakayo.

O prontuário afetivo registra, além do aspecto clínico, as emoções, preferências e aspectos psicossociais dos pacientes | Fotos: Davidyson Damasceno/ IgesDF

O Humanizar é responsável pelo acolhimento inicial nas portas de acesso, estreitando os elos de comunicação entre os usuários externos e internos aos serviços prestados pelo IgesDF. A ideia é valorizar a empatia, o respeito, a comunicação efetiva e a qualidade do cuidado prestado, promovendo uma experiência mais positiva e centrada nas necessidades dos usuários.

O tipo de abordagem do prontuário afetivo influencia positivamente no cuidado que o paciente recebe, pois permite estabelecer um elo de confiança maior entre ele e a equipe de assistência. “Isso reflete diretamente na forma com que o paciente responde ao tratamento, pois existem estudos que comprovam que o estado emocional está diretamente ligado ao tempo de recuperação. Os pacientes estão gostando muito”, acrescenta Sakayo.

A gerente geral de Humanização e Experiência do Paciente, Anucha Soares, destaca que “a iniciativa por parte do Núcleo de Humanização é piloto aqui no Hospital Cidade do Sol, mas temos a intenção de estender às outras unidades de internação geridas pelo IgesDF. Essa abordagem reconhece a importância da dignidade e dos direitos humanos, considerando as necessidades emocionais, sociais e psicológicas das pessoas envolvidas.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui