Preparatório para o Enem

0
20

Estudantes de colégios militares participaram, na Alego, de aulão preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O presidente Bruno Peixoto recebeu os alunos, na tarde desta segunda-feira, 30.

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) recebeu, na tarde desta segunda-feira, 30, alunos de diversas unidades de Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás. Os estudantes foram recepcionados pelo presidente da Alego, deputado Bruno Peixoto (UB), no auditório principal da Casa de Leis, onde participaram, ao longo de toda tarde, do 1° de Olho no Enem, um aulão ministrado por especialistas, com foco em prepará-los para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em entrevista à Agência Assembleia de Notícias, Peixoto falou de sua satisfação em contribuir com um momento tão importante para a vida dos alunos que realizarão as provas no próximo final de semana. “Fico muito feliz em recebê-los. Esses jovens dão orgulho ao nosso Estado, tornando Goiás uma referência nacional. Recebemos, quase diariamente, representantes de outras regiões que buscam conhecer nosso modelo [militar]. É algo que tem dado um resultado positivo, por meio de um elevado número de aprovações em diversas universidades. Fico feliz e honrado em abrir as portas da Assembleia para acolher esses alunos”, disse. 

Presente na abertura do encontro, a secretária de Educação de Goiás, Fátima Gaviolli, também enalteceu a iniciativa pioneira. “Sempre que unimos nossas forças quem ganha é o povo. Hoje, aqui, temos professores, profissionais da Polícia Militar, da Assembleia Legislativa e do Estado, todos reunidos nesse espaço físico e garantindo transmissão ao vivo para todos”. 

A aula, conforme destacado pela secretária, pode ser acompanhada em tempo real pelo YouTube (clique no link para acessá-la). “Vejam, vocês, quantas pessoas estão envolvidas nesta aula. Com certeza, quem vai ganhar com isso são os alunos do ensino médio do Estado de Goiás”.

Representante da Polícia Militar na Casa de Leis, o deputado Coronel Adailton (Solidariedade) também participou da abertura dos trabalhos e falou com os estudantes. “Desse auditório, sairão médicos, arquitetos, engenheiros, políticos, militares, qualquer profissão que cada um de vocês escolher. Nossos professores trazem o melhor para cada um de vocês, no que diz respeito à preparação. Aí dependerá da dedicação, esforço e foco de cada um de vocês. E, se estão nesse auditório, é porque estão buscando o melhor para suas vidas”, pontuou. 

Diversas disciplinas serão ministradas, ao longo da tarde, por professores especialistas em cada uma delas. A primeira aula, focada em “como tirar mais de 800 em Matemática e suas tecnologias”, foi encabeçada pelo professor Pedro Itallo Vaz, mestre em matemática pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Depois, foi a vez dos professores Carlos César Higa e Bruno Ferreira falarem sobre História e Geografia, respectivamente. 

Provas

O Exame Nacional do Ensino Médio foi instituído em 1998, com o objetivo de avaliar o desempenho escolar dos estudantes, ao término da educação básica. Em 2009, o exame aperfeiçoou sua metodologia e passou a ser utilizado como mecanismo de acesso à educação superior. As notas do Enem podem ser usadas para acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e ao Programa Universidade para Todos (ProUni). Elas também são aceitas em mais de 50 instituições de educação superior portuguesas. Além disso, os participantes do Enem podem pleitear financiamento estudantil em programas do governo, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). 

Qualquer pessoa que já concluiu o ensino médio ou está concluindo a etapa pode fazer o Enem para acesso à educação superior. Os participantes que ainda não concluíram o ensino médio podem participar como “treineiros”, sendo que seus resultados no exame servem somente para autoavaliação de conhecimentos. A aplicação do Enem ocorre em dois dias.

Os participantes fazem provas de quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, que, ao todo, somam 180 questões objetivas. Os estudantes de todo País também são avaliados por meio de uma redação, que exige o desenvolvimento de um texto dissertativo-argumentativo a partir de uma situação-problema.Agência Assembleia de Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui