Manzoni promove solenidade em comemoração dos 90 anos da profissão de Engenheiro Agrônomo

0
31

Encontro reuniu profissionais e líderes para celebrar a história e planejar o futuro da agricultura no DF e no Brasil
O auditório da Câmara Legislativa recebeu engenheiros agrônomos em uma sessão solene em comemoração dos 90 anos da profissão. Na última segunda-feira (31), profissionais do setor, empresários e legisladores celebraram o aniversário da regulamentação da profissão em cerimônia presidida pelo deputado Thiago Manzoni.


Ao abrir a solenidade para a fala dos componentes de honra, o deputado Thiago Manzoni contou que foi procurado em seu gabinete pelo presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos do DF (AEA-DF), Antônio Barreto, que levou a proposta do evento. “O agro brasileiro hoje alimenta pouco mais de um bilhão de pessoas ao redor do mundo e tem a possibilidade de se tornar uma das nações mais ricas por causa do agronegócio. Comemorar esses 90 anos aqui na Câmara Legislativa é muito relevante não só para o DF, mas para o Brasil”, compartilhou Manzoni.
O engenheiro agrônomo e fundador da Embrapa, doutor Eliseu Alves, com 92 anos, abrilhantou o evento com a sua fala relembrando as conquistas dos engenheiros agrônomos no DF e contou da sua constante busca pelo aprimoramento das tecnologias. “Nós tivemos cuidado ao montar a Embrapa. Todo estado tem uma Embrapa, que foi, na minha opinião, um sucesso. O sucesso também é das universidades e, sobretudo, da iniciativa particular. E a glória é a dos engenheiros agrônomos, que transformaram esse Brasil na grande potência de produção de alimentos. Nós estamos vendendo comida para 150 países e somos um dos grandes produtores de alimentos e exportadores e estamos ajudando muita gente a se livrar da fome via mercado internacional”.

Antônio Barreto saudou os presentes e os grandes feitos de profissionais que transformaram a agricultura do Brasil. “Eles transformaram o nosso país. Estamos quase no primeiro mundo. Muito em breve, nas próximas gerações, a gente terá um país onde poderemos dizer com dignidade que aqui ninguém passa fome, que aqui o alimento produzido realmente chega à casa de cada um através da tecnologia, da produção e da transformação.”

O presidente da Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF), Fernando Brites, parabenizou a iniciativa da solenidade que considerou de suma importância para o setor produtivo e para o agro.  “Eu gostaria de dizer que o senhor, deputado Manzoni, aqui na Câmara Legislativa, e a nossa deputada federal Bia Kicis, na Câmara Federal, orgulham o setor produtivo e a sociedade de Brasília. Vocês têm posições definidas. A gente sabe exatamente como vocês pensam, de forma coerente, a favor do desenvolvimento social e do crescimento da atividade econômica. A postura de vocês a favor da livre iniciativa ganha relevância quando a gente consegue colocar pessoas de tão expressivo valor num auditório como este. Isso nos enche de esperança”, falou Brites.

Manzoni aproveitou a menção à deputada Bia Kicis e ressaltou que ela é a parlamentar que mais destinou emendas na história para agricultura familiar e mudou a vida de centenas de famílias do Distrito Federal e Entorno. “O Brasil, infelizmente, ainda é um país que trabalha contra os seus empreendedores. Se o Brasil quer avançar, nós precisamos de liberdade econômica, de livre iniciativa, de livre mercado. E eu espero que em muito pouco tempo esse pensamento seja majoritário nas nossas casas de leis para que os nossos parlamentos deixem de atrapalhar e passem a contribuir com o avanço das nossas cidades e do nosso país”, disse Manzoni.

A deputada Bia Kicis contou que durante a primeira campanha eleitoral em que ela participou, em 2018, começou a vivenciar a realidade do agricultor, especialmente do agricultor familiar, e sentiu uma vocação para cuidar do agricultor. “Eu não tinha noção do tamanho do agro no DF e Entorno. Comecei a perceber também as dificuldades enfrentadas pelo pequeno agricultor. Costumamos dizer que o Estado deve permitir que cada um siga o seu caminho sem interferência, mas ele também deve estar presente para ajudar, prestando assistência a quem precisa, a quem está vulnerável. Na minha visão e na do Thiago, o objetivo é que essa assistência seja temporária, permitindo que a pessoa se desenvolva e se torne independente do Estado”.

Para o secretário de Agricultura do DF, Fernando Antônio Rodriguez, a solenidade trouxe muitas reflexões e, segundo ele, uma questão extremamente importante é a sustentabilidade. “Quando se fala em sustentabilidade, se fala em três pilares: o social, o econômico e o ambiental. Mas não existe sustentabilidade sem tecnologia, e não existe sustentabilidade sem apoio político institucional”.

Além dos nomes citados acima, compuseram a mesa de honra e tiveram a palavra o secretário executivo adjunto, Cleber Oliveira Soares, representando o ministro da Agricultura; o presidente da Emater, Cleison Duval; o vice-presidente da Confederação das Associações dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (CONFAEAB), Francisco das Chagas da Silva Lira; o presidente do CREA-DF, Brasil Américo Louly Campos e o diretor-geral da Mútua-DF, Antônio José Oliveira Lima.

Fotos: Jeremias Alves

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui