Evento alusivo ao Dia Mundial da Água reúne autoridades, terceiro setor, estudantes e técnicos em recursos hídricos na sede da Adasa

0
16

Nesta terça-feira (26/03), a Adasa celebrou o Dia Mundial da Água com um evento especial em sua sede, onde reconheceu e premiou iniciativas exitosas de escolas que promovem o uso responsável dos recursos hídricos. Além disso, destacou projetos de reutilização de água em edifícios do Distrito Federal. Desde 2010, a Adasa vem homenageando projetos que contribuem para a educação ambiental e a gestão sustentável dos recursos hídricos.

Para o diretor-presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro, práticas de reúso são essenciais para a sustentabilidade dos recursos hídricos. “Aspiro que o reúso seja uma prática comum em todo o Distrito Federal, adotada por instituições, órgãos públicos e escolas. Afinal, quando as escolas lideram pelo exemplo, a tendência é que todos acompanhem essa iniciativa sustentável”, compartilhou.

A escola Classe Sonhém de Cima, localizada na região de Sobradinho, foi a primeira entidade a receber o prestigioso prêmio “Guardião da Água”, por seu projeto inovador que envolveu não apenas os estudantes, mas também a comunidade local, em atividades de conscientização e práticas de conservação da água.

“Quando a gente quer fazer uma metanoia, uma mudança de mentalidade em uma sociedade, a gente tem que começar pela educação. O professor Sérgio Teixeira está de parabéns, porque ele realmente conseguiu fazer um trabalho importantíssimo naquela comunidade”, pontuou a secretária de educação do DF, Hélvia Paranaguá.

Sérgio Luiz Teixeira, professor e idealizador do projeto Guardião da Água na escola, agradece a direção, professores e alunos pelo engajamento na causa. “A união de todos como guardiões reflete o compromisso com a sustentabilidade e a conscientização ambiental”, concluiu.

Além disso, a Adasa também premiou prédios locais que se destacaram na preservação dos recursos hídricos por meio da prática de reúso de água cinza – proveniente de chuveiros, pias, máquina de lavar e outros processos domésticos – e aproveitamento de água da chuva. Os agraciados com a placa Guardião da Água foram o DataPrev, o Parkshopping, o edifício Península e o Atacadão Sobradinho.

Para o gerente-executivo do Departamento de Gestão de Ambientes da Superintendência de Serviços Logísticos, Eduardo Sousa, a decisão do DataPrev em adotar medidas de reuso de água da chuva foi estimulada por uma compreensão profunda da importância da sustentabilidade e da conservação da água.

“A água é um bem valioso e limitado, essencial para a preservação futura. A indicação ao prêmio Guardiões da Água é uma honra que reafirma nosso compromisso com a sustentabilidade e inspira a melhoria contínua de nossas ações ambientais”, destacou o gestor da empresa pública de tecnologia – vinculada ao Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) do Governo Federal.

Marco Oliveira, CEO do Atacadão, ressaltou o compromisso da empresa com o desenvolvimento socioeconômico sustentável. “A unidade de Sobradinho economiza 20% de água por meio do reaproveitamento da chuva, incentivando práticas sustentáveis entre clientes e funcionários. Nos orgulhamos muito disso.”

A superintendente do Park Shopping, Natália Vaz, destaca a importância do prêmio Guardião da Água como reconhecimento dos esforços em sustentabilidade e projetos da ESG. “A estação de tratamento de esgoto do shopping evita a sobrecarga do sistema público, economiza água e permite seu reuso contínuo, contribuindo para o meio ambiente e economia interna. Para 2024, o objetivo é reutilizar 100% da água tratada, com a expectativa de que este prêmio seja o primeiro de muitos”, comemorou.

Carolina Neiva, representante do condomínio Península, também expressou orgulho pelo reconhecimento do sistema de reúso de água do local, premiado com a placa Guardião da Água. “O condomínio, composto por 11 torres e mais de 1224 apartamentos, utiliza o sistema para irrigar cerca de 45 mil m² de jardins, promovendo o uso sustentável da água e gerando economia. São programas e projetos que beneficiam as futuras gerações”, refletiu.

Além das premiações, a Superintendência de Drenagem Urbana (SDU) lançou, durante o evento, nova versão do Manual de Drenagem e Manejo de Águas Pluviais Urbanas do DF, publicação que inclui mudanças decorrentes do novo marco regulatório nacional dos serviços públicos de saneamento básico e agrega conhecimentos técnicos produzidos pela Agência no aprimoramento da gestão da drenagem urbana na região.

“A atualização do Manual reflete o compromisso contínuo da SDU com a excelência em gestão hídrica. Incorporando as diretrizes do novo marco regulatório, este manual não apenas orienta, mas também inspira práticas inovadoras para o manejo de águas pluviais urbanas, garantindo um futuro mais sustentável para o Distrito Federal”, ressaltou Hudson Rocha, superintendente de Drenagem Urbana da Adasa.

Em seguida, celebrou-se o Acordo de Cooperação Técnica firmado entre a Adasa e o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do DF (Brasília Ambiental), visando colaboração mútua para o desenvolvimento de ações na Estação Ecológica de Águas Emendadas – ESEC-AE e seu entorno.

“Este acordo de colaboração técnica é essencial, pois a discussão sobre água inevitavelmente envolve o cerrado; sem ele, a água se torna escassa. Com a devida atenção e cuidado ao cerrado, asseguramos a disponibilidade de água, a preservação do meio ambiente e, consequentemente, uma vida de qualidade para todos”. Pontuou o presidente do IBRAM, Roney Nemer.

Além das ações que ocorrerão na parte externa da Agência, os convidados tiveram a oportunidade de conhecer a maquete do Memorial Internacional da Água – MINA, um complexo arquitetônico que contempla um museu desenhado por Oscar Niemeyer, um centro de estudos em recursos hídricos, um anfiteatro e uma área administrativa. O Projeto MINA, que em breve será erguido em Brasília, é coordenado pela Adasa com o apoio do Governo do Distrito Federal e da Caesb.

Para o diretor Rogério Rosso, o museu projetado não será apenas um marco para o Distrito Federal, mas para o Brasil e o mundo. “Concebida por Gilberto Antunes, maquetista de todos os projetos de Niemeyer, a maquete é uma representação do que se espera realizar. Além de um importante museu dedicado à água, esse espaço será combinado com educação e anfiteatro, enriquecendo ainda mais o patrimônio cultural e intelectual da comunidade”, comemorou.

Além de Ribeiro, Rosso, Hélvia e Roney, estiveram presentes os diretores, Vinicius Benevides Felix Palazzo e Apolinário Rebelo; o ouvidor, Robinson Cardoso; o secretário do Meio Ambiente, Gutemberg Gomes; a representante da senadora Damares, Marisa Romão; o coordenador da regional de Ensino, Marcílio Lacerda; a presidente do CBH Maranhão, Nilda Oliveira; o representante da Comandante Geral do Corpo de Bombeiro o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Lopes; além das crianças e professores da escola Sonhém de Cima e todo o corpo de servidores e colaboradores da Adasa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui