CLDF vai debater alteração do nome do Parque Bosque do Sudoeste

0
18
Projeto do deputado João Cardoso homenageia o fundador da Comunidade Canção Nova, Monsenhor Jonas Abib, falecido no final de 2022

A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizará, no dia 19 de junho, às 10h, audiência pública para debater o PL 582/2023, de autoria do deputado João Cardoso (Avante), que altera o nome do Parque Urbano Bosque do Sudoeste para Parque Urbano Monsenhor Jonas Abib, localizado na região administrativa Sudoeste/Octogonal. 

Segundo Cardoso, o comprometimento ao sacerdócio e as ações abnegadas a favor da comunidade, fazem jus à honraria ao religioso. “O PL tem objetivo de prestar uma merecida homenagem a Jonas Abib, uma personalidade relevante para nossa comunidade. Os frutos de seu trabalho missionário na capital são abundantes”, afirma.

O projeto do parlamentar atende a Lei 4.052/2007, que possibilita que áreas urbanas e monumentos públicos recebam de indivíduos, datas, acidentes geográficos, fatos históricos reconhecidos pela população do DF. De acordo com o texto, os espaços podem receber nomes de pessoas falecidas que se destacaram em algum campo do conhecimento humano, como cultura, educação, artes, política e filantropia.

Vida cristã

Nascido em 21 de dezembro de 1936, no interior de São Paulo, Monsenhor Jonas Abib se dedicou à vida cristã desde a infância, quando, aos 13 anos, integrou o seminário salesiano. Ordenado sacerdote em 1964, pela ordem Salesiana, o religioso trabalhou com jovens, promovendo encontros e retiros. Em 1978, Abib fundou a Comunidade Canção Nova, um dos maiores sistemas de comunicação para a evangelização católica no mundo.

A pedido do bispo da diocese de Lorena (SP), Dom Benedito Beni Santos, Abib recebeu o título de “monsenhor”, em 2007, pelo Papa Bento XVI, uma honra dada a padres que se destacam pelos serviços prestados à igreja e à comunidade. O religioso faleceu em 12 de dezembro de 2022, aos 85 anos de idade, devido insuficiência respiratória por broncoaspiração e disfagia motora.
 

Legislação

De acordo com a legislação local (Lei nº 4.052/2007), a alteração de nomes de logradouros e monumentos públicos deve ser ratificada pela população, consultada mediante audiência pública.

Amanda Gonçalves (estagiária) – Agência CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui