Adasa celebra acordo de cooperação técnica para continudade do programa produtor de água no Pipiripau

0
64

Na terça-feira (07/11), a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) realizará evento para celebrar novo Acordo de Cooperação Técnica – ACT com 13 instituições governamentais para continuidade de programa Produtor de Água no Pipiripau.

O Produtor de Água do Pipiripau tem como objetivo orientar, incentivar e apoiar os produtores rurais na promoção da sustentabilidade hídrica da bacia por meio de práticas que reduzam os efeitos das mudanças climáticas. Esse processo favorece a penetração da água no solo, aumentando a recarga do fluxo de base e a disponibilidade de água na época de seca, buscando assim assegurar o fornecimento para os usos múltiplos na bacia de forma a preservar a vocação rural do local.

O Programa completou 210 contratos firmados em mais de uma década de trabalho no DF. Na bacia do Ribeirão Pipiripau, onde o Programa foi implementado, cerca de 30 milhões de reais foram aplicados na área. Desse valor, aproximadamente R$ 3 milhões já foram repassados aos produtores de água contratados pelos serviços ambientais realizados. No total, foram mais de 1300 hectares de terraços instalados, 134 quilômetros de estradas recuperadas, mais de 1300 bacias de retenção edificadas e mais de 2100 hectares de plantio direto.

No âmbito do reflorestamento, o Programa possibilitou a recomposição vegetal em cerca de 250 hectares, onde mais de 400.000 mudas foram plantadas e mais de 40 quilômetros de cercas instaladas, a fim de evitar a degradação das áreas em regeneração.

Outra ação de grande impacto nos recursos hídricos e no âmbito social da região foi a revitalização do principal canal de irrigação da região do Pipiripau: o Canal Santos Dumont. Antes da revitalização, o canal apresentava perdas hídricas por infiltração e evaporação de aproximadamente 50% do volume captado. Com o revestimento do canal, as perdas foram quase extintas, devolvendo ao sistema o volume médio de 100 litros por segundo e permitindo que todas as 96 propriedades de agricultores familiares abastecidos pelo canal mantivessem suas produções o ano inteiro, gerando renda e estabilidade a estes produtores e contribuindo com a disponibilidade hídrica para o abastecimento público.

Segundo o coordenador de apoio ao sistema de gerenciamento de recursos hídricos do Distrito Federal (COAR), Wendel Lopes, a assinatura da ACT viabiliza a manutenção do Programa, uma vez que o maior gargalo atual é a limitação de recursos financeiros para desenvolvimento de práticas do projeto, em especial para a restauração ambiental.

“O evento de assinatura é um marco. Estamos muito felizes, pois ele é essencial para a continuidade do projeto. O ACT tem validade de cinco anos, o anterior já expirou e era urgente ter um novo para garantir a continuidade do nosso trabalho. Com a assinatura, poderemos fazer novos chamamentos para retomar e ampliar as ações do projeto”, explicou.

Além do diretor presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro, assinam o ACT:  o diretor-presidente da ANA, Maurício Abijaodi Lopes Vasconcellos; o presidente da CAESB, Luís Antônio Almeida Reis; Presidente da CAESB; o diretor de Regulação e Meio Ambiente da CAESB, Haroldo Toti; o diretor geral do Departamento de Estradas e Rodagem do Distrito Federal – DER, Fauzi Nacfur Júnior; o presidente da EMATER/DF Cleison Medas Duval; o chefe-geral da Embrapa Cerrados, Sebastião Pedro da Silva Neto; o presidente do IBRAM, Rôney Tanios Nemer; o diretor presidente da Rede Pede Planta, Erli Ferreira Gomes; a presidente da Rede de Sementes do Cerrado, Camila Prado Motta; o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural do DF, Fernando Antonio Rodriguez; Secretário de Estado do Meio Ambiente e Proteção Animal do DF, Antônio Gutemberg Gomes de Souza; a Superintendente do Desenvolvimento do Centro Oeste – SUDECO, Rosiane Modesto de Oliveira; e o Diretor de Conservação – Programa Brasil da TNC, Rodrigo Spuri Tafner de Moraes.

Coordenado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), em parceria com a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), a Agência Nacional de Águas (ANA), além de outras instituições públicas e organizações não-governamentais, o projeto contribui para a melhoria da qualidade e da quantidade da água disponível na bacia hidrográfica e abastece cerca de 200 mil pessoas no Distrito Federal e em Goiás. Além disso, fortalece a atividade rural sustentável na região, garantindo a preservação dos serviços ecossistêmicos e a valorização da cultura e da identidade local.

Ação premiada internacionalmente – Em 2021, o Produtor de Água no Pipiripau alcançou a segunda colocação entre 340 projetos, de mais de 80 países, que concorreram ao Water ChangeMaker Awards (Produtores de Mudanças em Relação à Água). O anúncio dos vencedores foi realizado durante evento internacional sobre adaptação às mudanças climáticas – Climate Adaptation Summit (CAS2021).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui